contato@epc.pe.gov.br(81) 3183.7300 facebooktwitterinstagramyoutube

Acompanhe o boletim Covid-19 da Secretaria de Saúde de PE

publicado em:17/06/20 2:00 PM CoronavírusSaúde

A Secretaria Estadual de Saúde (SES-PE) confirmou, nesta terça-feira (16.06), 920 novos casos da Covid-19 em Pernambuco. Entre os confirmados hoje, 159 se enquadram como Síndrome Respiratória Aguda Grave (Srag) e 761 como leves. Agora, Pernambuco totaliza 46.427 casos já confirmados, sendo 17.405 graves e 29.022 leves. Além disso, o boletim registra 30.767 pessoas curadas da Covid-19 no Estado. Desse total, 7.598 são de casos graves e 23.169 casos leves.

Os casos graves confirmados da doença estão distribuídos por 170 municípios pernambucanos (tabela 1), além do Arquipélago de Fernando de Noronha e da ocorrência de pacientes em outros Estados e países.

Também foram confirmados laboratorialmente 73 óbitos (sendo 32 do sexo feminino e 41 do sexo masculino). Os novos óbitos confirmados são de pessoas residentes nos municípios de Arcoverde (1), Barreiros (2), Belo Jardim (1), Bezerros (1), Bom Jardim (1), Cabo de Santo Agostinho (2), Canhotinho (1), Carpina (1), Caruaru (2), Escada (1), Feira Nova (1), Garanhuns (1), Ipojuca (1), Jaboatão dos Guararapes (10), Jucati (1), Nazaré da Mata (3), Olinda (4), Panela (2), Passira (1), Pedra (1), Petrolina (2), Recife (27), Ribeirão (1), São Lourenço da Mata (1), Tabira (2), Tupanatinga (1), outro Estado (1). Com isso, o Estado totaliza 3.959 mortes pela doença.

Os óbitos aconteceram entre os dias 18 de abril e 15 de junho e os pacientes tinham idades entre  20  e  100  anos.  Dos  73  pacientes,  49  apresentavam  comorbidades  confirmadas: hipertensão   (22),   diabetes   (21),   doença   cardiovascular   (21),   tabagismo/histórico de tabagismo  (5),  doença  renal  (4),  obesidade  (4),  câncer  (3),  doença  respiratória  (3), Parkinson (3), Alzheimer (2), etilismo/histórico de etilismo (2), HIV/Aids (1), AVC (1), doença hepática 1) – um paciente pode ter mais de uma comorbidade. Cinco sem comorbidades e os demais estão em investigação pelos municípios. As faixas etárias são: 20 a 29 (2), 30 a 39 (1), 40 a 49 (1), 50 a 59 (17), 60 a 69 (9), 70 a 79 (22), 80 ou mais (21).

Com relação à testagem dos profissionais de saúde com sintomas de gripe, em Pernambuco, até agora, 13.947 casos foram confirmados e 15.339 descartados. As testagens abrangem os profissionais de todas as unidades de saúde, sejam da rede pública (estadual e municipal) ou privada. O Estado foi o primeiro do país a criar um protocolo para testar os profissionais da área da saúde.

MENOS CONTÁGIO – Pernambuco é o Estado brasileiro que mantém mais dias com baixa taxa de contágio da Covid-19 (número de pessoas para qual cada paciente infectado transmite a doença). De acordo com o grupo Covid-19 Analytics, formado por pesquisadores de diversas áreas da Pontifícia Universidade Católica (PUC) do Rio de Janeiro, além de instituições parceiras, o Estado já está há 19 dias com a taxa de contágio abaixo de 1, mostrando uma tendência de estabilização nos casos doença. A análise está disponível no site: https://covid19analytics.com.br/.

De acordo com a ferramenta, com informações consolidadas na última segunda (15.06), a taxa de contágio em Pernambuco está em 0,87. Este indicador aponta para quantas pessoas cada infectado transmite a doença. Quanto mais alto, maior a velocidade de transmissão e maior o risco de uma possível sobrecarga no sistema de saúde. Pesquisadores ao redor do mundo consideram que as medidas de restrição e isolamento social só podem ser relaxadas, sem risco para o sistema de saúde, se este número estiver abaixo de 1.

No país, dez Estados estão na faixa abaixo de 1, contudo, apenas três mantém esse status há mais de dez dias: Pernambuco (19), Acre (15) e Amazonas (14). Os outros são: Rio de Janeiro (8), Rio Grande do Sul (7), Santa Catarina (7), Ceará (6), Tocantins (6), Maranhão (4) e Roraima (3). Outros 15 Estados estão na faixa intermediária, com taxa entre 1 e abaixo  de 1,5, e 2 com taxa a partir de 1,5.

“Este estudo reforça o que estamos vivenciando na prática, com a redução da pressão sobre o Sistema de Saúde e a tendência de queda dos casos graves e dos óbitos. E isto não está sendo alcançado ao acaso. É fruto do maior esforço sanitário, logístico e de mobilização de recursos humanos da nossa história, mas também é reflexo do grande esforço feito pelos pernambucanos que entenderam o recado e, quando puderam, ficaram em casa e adotaram um isolamento social rígido. Pela mobilização de toda a sociedade, conseguirmos fazer o melhor isolamento social possível do Brasil. Foi graças ao empenho de cada pernambucano que pudemos dar início, no último dia 08 de junho, a um plano de convivência. E, mesmo estando entre os estados com os melhores indicadores para este retorno das atividades, nosso plano é um dos mais conservadores do brasil. Cada medida está sendo tomada com muita cautela e extrema segurança, porque nosso compromisso é com salvar vidas”, destacou o secretário estadual de Saúde, André Longo.

O gestor também reforçou que não é hora de relaxar nas medidas de isolamento e distanciamento social. “Temos um grande compromisso de continuar abrindo leitos, mas, para continuarmos avançando e ativando as próximas etapas do plano, é necessária a ajuda de todos. A ativação de cada uma das próximas etapas do nosso plano de convivência, depende unicamente das atitudes de cada um de nós. Evitar aglomerações ainda é fundamental, ficar em casa ainda é necessário. As medidas de higiene pessoal, etiqueta respiratória e o uso de máscaras de forma correta são medidas que precisam estar incorporadas ao cotidiano de cada um de nós. O nosso comportamento hoje será determinante para os nossos próximos passos”, finalizou Longo.

Segundo o Covid-19 Analytics, as taxas são calculadas a partir dos dados de casos e mortes divulgados diariamente. O grupo ainda ressalta que as análises “se tornam mais confiáveis conforme a região se estabiliza em uma determinada faixa de número de reprodução por muitos dias”.



Post Tags